quarta-feira, 10 de outubro de 2012

EM VIAGEM (Antero de Quental)


   ANTERO DE QUENTAL, por Urbano, Coleção Escola Secundária Antero de Quental
        
        
EM VIAGEM

Pelo caminho estreito, aonde a custo
Se encontra uma só flor, ou ave, ou fonte,
Mas só bruta aridez de áspero monte
E os sóis e a febre do areal adusto,

Pelo caminho estreito entrei sem susto
E sem susto encarei, vendo-os defronte,
Fantasmas que surgiam do horizonte
A acometer meu coração robusto...

Quem sois vós, peregrinos singulares?
Dor, Tédio, Desenganos e Pesares...
Atrás deles a Morte espreita ainda...

Conheço-vos. Meus guias derradeiros
Sereis vós. Silenciosos companheiros,
Bem-vindos, pois, e tu, Morte, bem-vinda!
          
Antero de Quental
        


        
        
1. Atente no percurso do eu.

1.1. Precise o sentido do adjetivo em «caminho estreito».

1.2. Saliente a disforia da linguagem na caracterização desse percurso.

1.3. Trata-se de um caminho sem «flor, ou ave ou fonte». Que significado atribui a este facto?

1.4. Explique o emprego da maiúscula nos vocábulos do verso 10.

2. Que papel se confere à Morte no poema?

3. «Viagem» é uma metáfora de quê?
           
Ser em Português 12ºA (coord. A. Veríssimo, Areal Ed.,1999).
           
        
        
SUGESTÕES DE LEITURA
        


[Post original: http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2012/10/10/em.viagem.aspx]
Enviar um comentário