quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

ILHAS DE BRUMA

  
Fotografia de José Carreiro. Ribeira Grande, 2014-01-04

      
Ainda sinto os pés no terreiro,
Que os meus avós bailavam o pezinho
É que nas veias corre-me basalto negro
E na lembrança vulcões e terramotos.

Por isso é que sou das ilhas de bruma,
Onde as gaivotas vão beijar a terra

Se no falar trago a dolência das ondas
O olhar é a doçura das lagoas
É que trago a ternura das hortênsias
E no coração a ardência das caldeiras.

Por isso é que sou das ilhas de bruma,
Onde as gaivotas vão beijar a terra 

Trago o roxo a saudade esta amargura
E só o vento me ecoa na lonjura
Mas trago o mar imenso no meu peito
E tanto verde a indicar-me a esperança. 

Por isso é que eu sou das ilhas de bruma,
Onde as gaivotas vão beijar a terra 

É que nas veias corre-me basalto negro
No coração a ardência das caldeiras.
O mar imenso me enche a alma,
E tenho verde, tanto verde a indicar-me a esperança. 

Por isso é que sou das ilhas de bruma
Onde as gaivotas vão beijar a terra
  
Manuel Medeiros Ferreira
(Ilha de São Miguel, 1950-2014)     
                                  
         
                                  
Esta melodia, que espelha o lirismo açoriano, embala-nos numa tocante sensação marítimo-maternal.
José Maria de Aguiar Carreiro
       
A canção "Ilhas de Bruma", escrita nos anos oitenta do século XX por Manuel Medeiros Ferreira, transformou-se num "hino não institucional" da açorianidade e da autonomia, um tema que "também serviu para contestar" e continua a ser recreado.
  
  
Lagoa do Fogo, 12-05-2016. Foto: Manuel-Oliveira

      
      
       PETIÇÃO PÚBLICA: MUDAR O HINO OFICIAL DOS AÇORES
  
      Mudar o hino oficial dos Açores.
       PETIÇÃO PÚBLICA dirigida ao Governo Regional dos Açores
        e Assembleia Legislativa dos Açores.
Ilhas De Bruma, um verdadeiro Hino aos Açores.
Quantos Açorianos conhecem o Hino dos Açores e quantos conhecem a Letra que Natália Correia tentou adaptar à melodia? Julgamos que poucos, mas muitos não só conhecem como gostam e trauteiam as “Ilhas De Bruma” de Manuel Medeiros Ferreira (falecido em 3/1/2014). Quer a melodia quer a letra retratam com fidelidade as Nove Ilhas do Arquipélago e, no momento do padecimento do Autor de Ilhas de Bruma, a melhor homenagem que lhe podemos prestar é propor que a sua criação musical e literária seja assumida como Hino Dos Açores. Eu voto e quem vota mais?
Ao longo dos anos nos Colóquios da Lusofonia constatei um total desconhecimento do hino oficial quando este era tocado por motivos institucionais (Brasil, Macau e Galiza). Por outro lado em todos os colóquios onde a nossa pianista residente (Ana Paula Andrade, diretora do Conservatório Regional de Ponta Delgada) tocava as Ilhas de Bruma a maior parte das pessoas sabia cantarolar fosse em que país fosse... De facto a suave melodia, quase uma melopeia entranha-se no ouvido dos forasteiros e faz sentir saudades aos açorianos e seus descendentes. Esta composição de M M Ferreira é das mais tocadas nas rádios da diáspora e decerto simboliza melhor do que qualquer outra esse sentimento que todos partilhamos da AÇORIANIDADE.
Não é uma marcha militar como aquele que ficou como hino oficial com um poema forçado da Natália Correia para se fazer encaixar numa música mais apropriada ao dealbar do século XX do que ao seu findar… A ideia original pode ter parecido boa na altura mas não vingou e raros se identificam com esse hino oficial.
Nestes dias após a morte de M M Ferreira lançamos este repto nas redes sociais pois pretendíamos saber se haveria força e expressão popular para tal. Até agora, nessas redes, duas pessoas mostraram-se contra com a maioria a perguntar onde se assina a petição. Ora bem, em menos de 24 horas, centenas e centenas de pessoas nos fóruns da internet dedicados aos Açores (Info Açores, Açores Global, Ilhas de Brumas, e tantos tantos outros) manifestaram-se afirmativamente a esta proposta. Aliás esta constatação já a vínhamos fazendo na sessão de abertura dos Colóquios da Lusofonia desde 2006 em que todos conheciam a letra e música de As Ilhas de Bruma e todos ficavam calados quando institucionalmente tínhamos de tocar o hino oficial…. Assim, sugerimos, a quem de direito a coragem de assumir o verdadeiro hino dos Açores em substituição do hino oficial que nada nem ninguém representa. Talvez mereça algum estudo e melhoramento pelos entendidos mas como está, foi bem aceite por todos e vibra na alma dos açorianos de cá e na diáspora. Sendo uma composição simples, popular, que bem retrata e espelha a alma açoriana merecia ser tocado como hino representante da Região. Esta é a opinião da Direção da AICL ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS COLÓQUIOS DA LUSOFONIA)  
  


[Post original: http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2014/01/22/ilhas.de.bruma.aspx]
Enviar um comentário