terça-feira, 9 de junho de 2015

Se estou só, quero não estar (Fernando Pessoa)


Júlio (1902-1983). Ilustração para o livro de José Régio «As Encruzilhadas de Deus». in Presença, nº 46, 1935.
Júlio (1902-1983). Ilustração para o livro de José Régio 
«As Encruzilhadas de Deus». in Presença, nº 46, 1935. 




Se estou só, quero não estar,
Se não estou, quero estar só,
Enfim, quero sempre estar
Da maneira que não estou.

Ser feliz é ser aquele.
E aquele não é feliz,
Porque pensa dentro dele
E não dentro do que eu quis.

A gente faz o que quer
Daquilo que não é nada,
Mas falha se o não fizer,
Fica perdido na estrada.



2-7-1931
Poesias Inéditas (1930-1935). Fernando Pessoa. (Nota prévia de Jorge Nemésio.) Lisboa: Ática, 1955 (imp. 1990). 
 - 48.

Escutar o poema em mp3 dito por Teresa Faria
(In: http://multipessoa.net/labirinto/fernando-pessoa/10)







 
Enviar um comentário