Literatura Açoriana



OS AUTORES
     
(poetas, versejadores, romancistas, contistas, cronistas...)
 
 lista por ordem alfabética 
 lista por ordem cronológica
A AÇORIANIDADE

1932
 "Açorianidade", Vitorino Nemésio


"[...] Quisera poder enfeixar nesta página emotiva o essencial da minha consciência de ilhéu. Em primeiro lugar o apego à terra, este amor elementar que não conhece razões, mas impulsos; e logo o sentimento de uma herança étnica que se relaciona intimamente com a grandeza do mar.
Um espírito nada tradicionalista, mas humaníssimo nas suas contradições, com um temperamento e uma forma literária cépticos, - o basco espanhol Baroja, - escreveu um livro chamado Juventud, Egolatria 'O ter nascido junto do mar agrada-me, parece-me como um augúrio de liberdade e de câmbio'. Escreveu a verdade. E muito mais quando se nasce mais do que junto do mar, no próprio seio e infinitude do mar, como as medusas e os peixes [...]
Uma espécie de embriaguez do isolamento impregna a alma e os actos de todo o ilhéu, estrutura-lhe o espírito e procura uma fórmula quási religiosa de convívio com quem não teve a fortuna de nascer, como o logos, na água [...]
[...] Meio milénio de existência sobre tufos vulcânicos, por baixo de nuvens que são asas e bicharocos que são nuvens, é já uma carga respeitável de tempo - e o tempo é espírito em fieri [...]
Como homens, estamos soldados historicamente ao povo de onde viemos e enraizados pelo habitat a uns montes de lava que soltam da própria entranha uma substância que nos penetra. A geografia, para nós, vale outro tanto como a história, e não é debalde que as nossas recordações escritas inserem uns cinquenta por cento de relatos de sismos e enchentes. Como as sereias temos uma dupla natureza: somos de carne e pedra. Os nossos ossos mergulham no mar.
Um dia, se me puder fechar nas minhas quatro paredes da Terceira, sem obrigações para com o mundo e com a vida civil já cumprida, tentarei um ensaio sobre a minha açorianidade subjacente que o desterro afina e exacerba."
(Vitorino Nemésio, "Açorianidade", in: Insula, Número Especial Comemorativo do V Centenário do Descobrimento dos Açores,
nº 7-8, Julho-Agosto, Ponta Delgada, 1932. p. 59.)
*
"Outro sintoma linguístico da impulsividade afirmativa dos Açores como etnia ou espaço geográfico originais está no emprego da palavra 'açorianidade'. Quem escreve estas linhas passa por inventor desse vocábulo, há bons quarenta anos. Luís Ribeiro, o insigne etnógrafo e jurisconsulto açoriano de 'Os Açores de Portugal' - opúsculo de grande valia, pela posição de contraste, para o emancipalismo de hoje - foi um dos que generosamente me 'patentearam' por tão pobre criação vocabular. Porque lia então muitos ensaístas espanhóis, incluindo o clássico Pi y Margall de 'Las nacionalidades', decalquei sobre 'hispanidade e argentinidade' (Unamuno) o meu 'açorianidade' ".
(Vitorino Nemésio, “Açores: De onde sopram os ventos”, in Diário Insular, nº 8815, 5 Out. 1975. p. 1 e 3.
apud: Revista DI, nº 257, 9 Mar. 2008. p. 4-11.)
 


1967-07-15 a 1973-06-23
Coleção completa do suplemento Glacial - união das letras e das artes publicado pelo jornal A União, Angra do Heroísmo
1980
     + nota do autor para Canadian Centre for Azorean Research and Studies

1981
"Emigração, cultura e modo de ser açoriano", António Manuel B. Machado Pires

1984

1988

1989
"Vitorino Nemésio e a tipologia do açoriano", Onésimo Teotónio Almeida

1989

1995
"O homem açoriano e a açorianidade", António Manuel B. Machado Pires

1995-11
"Açorianidade", verbete da Enciclopédia Açoriana, António Manuel B. Machado Pires

1996-03
"Associação de Estudos Açoreanos Afonso Chaves", António M. de Frias Martins

1996-04
Antropologia (cultural e social)", verbete da Enciclopédia Açoriana, João Leal

1996-05

1997

1997/1998
"Os livros de Ponta Delgada", António Valdemar

2000

2000
 "Cada Ilha o Seu Mundo: Região e Regionalismo nos Açores", Práticas e Processos da Mudança Social - Actas do III Congresso Português de Sociologia, José Manuel Mendes

2002
Cultura", verbete da Enciclopédia Açoriana, António Manuel B. Machado Pires

2003

2005-05-05

2007
"Açorianismo", verbete da Enciclopédia Açoriana, Carlos Enes

2008-09-26

2008

2010

2010-05

2011
(consultado em)
"Insularidade", verbete da Enciclopédia Açoriana, Daniel de Sá
2011
(consultado em)
"Identidade açoriana", verbete da Enciclopédia Açoriana, J. G. Reis Leite
2011

2012-03

2012

2013
Identidade, globalização e açorianidade, Afonso Alberto Pereira Pimentel

2013-04-01

2013-04-21
Açorianidade (definição), António Manuel B. Machado Pires (in "Sentir açoriano", entrevista ao Diário Insular)

2014-02
2015
O voo do garajau: Dos Açores a Macau (Recensão), Virgínia Soares Pereira

2018-05-07

2018-06-09



Açorianidade, série de Machado Pires
na RTP Açores 
| outubro de 2014
Machado Pires estreia série na RTP/Açores
Inspirada no livro Páginas da Açorianidade, a série televisiva caracteriza a condição insular e a identidade marcada das ilhas açorianas.
Com doze episódios de vinte minutos, Açorianidade assenta numa série de conversas entre Machado Pires e personalidades cuja atividade ajuda a compreender a identidade açoriana.
Entre outros, estão agendados diálogos com Avelino Meneses, Fernando Peixoto, Jorge Barros e Ana Maria Martins.
Discípulo de Vitorino Nemésio, criador do conceito açorianidade, Machado Pires, natural da ilha Terceira, foi reitor da Universidade dos Açores.
Regionalismo e insularidade - lições de Mota Amaral na UA | outubro de 2015

A partir do I Semestre do ano letivo 2015-2016, o Doutor João Bosco Mota Amaral irá reforçar o corpo docente da Universidade dos Açores.
Num primeiro momento, Mota Amaral assegurará a lecionação de aulas, seminários e conferências, em particular no quadro dos novos cursos de licenciatura em Estudos Euro-Atlânticos e de mestrado em Relações Internacionais: o espaço Euro-Atlântico, oferecidos pelo Departamento de História, Filosofia e Ciências Sociais. Em particular, retirando proveito da experiência e das competências acumuladas ao longo de décadas em que exerceu dos mais prestigiados cargos às escalas regional, nacional e europeia, a docência de Mota Amaral centrar-se-á na área científica da Ciência Política e, nela, nas unidades curriculares de Regionalismo e Insularidade na Europa Contemporânea e de Teoria e Prática das Relações Internacionais.
As suas atividades letivas abrir-se-ão a três domínios fundamentais. Em primeiro lugar, na Autonomia dos Açores e nos papéis desempenhados pela Região na União Europeia e no sistema de Relações Internacionais. Em segundo lugar, no fenómeno moderno e contemporâneo do regionalismo e da revolução que tem vindo a imprimir ao modelo estatal europeu de organização social e política. Por último, em terceiro lugar, Mota Amaral irá explorar a emergência e consolidação da especificidade insular à escala europeia.
Mestre em Direito pela Universidade de Lisboa, Mota Amaral é também Doutor honoris causa pela Universidade dos Açores.

"Mota Amaral reforça Universidade dos Açores", Correio dos Açores, 2015-10-11.

João Bosco Mota Amaral e o Regime Açoriano de Autonomia Política. Por: Maria Filomena Ferreira, 2009.

Comunidade linguística



1981
Aspectos populares micaelensesJ. Almeida Pavão

1991-05-26
Leite de Vasconcelos e os AçoresJ. Almeida Pavão

2000

2002
Glossário do Romanceiro Tradicional das Ilhas dos Açores, vol. I, org. Samuel G. Armistead, Cristina Carinhas, Pere Ferré e Manuel da Costa Fontes

2002
Registos sonoros dos dialetos portugueses insulares: açorianos. Grupo de Variação do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa e Instituto Camões

2004

2007
"Açorianismo", verbete da Enciclopédia Açoriana, Carlos Enes

2007

2007
Códigos identificadores da representação da oralidade em Mau Tempo no Canal”, Organon (revista do Instituto de Letras da UFRGS), Irene Maria Ferreira Blayer

2008

2008

2008

2008

2010

2011
Atlas Linguístico-Etnográfico dos Açores (ALEAç), inserido no Atlas Linguístico-Etnográfico de Portugal e da Galiza (ALEPG), Centro de Linguística da Universidade de Lisboa (CLUL)

2012

2013-06-13

2014
"Características fonéticas do Português da Ilha Terceira", Studia Iberystyczne, Mikołajczak Sylwia

2014
Pronúncias dos Açores (vídeo), Victor Rui Dores


A QUESTÃO DA LITERATURA AÇORIANA

 
Embora haja quem suponha estéril o debate sobre a existência ou não de uma literatura açoriana, pessoalmente vejo nele uma riquíssima mina de elementos — dados, ideias, perspectivas, conceitos, especulações, interpretações, explicações, análises — que reflectem mundividências, posições teóricas sobre estética, pontos de vista sobre uma realidade humana num espaço geográfico específico (os Açores) de muitos dos melhores nomes das letras dos Açores. Seria injustificável ignorar-se simplesmente a recorrência dessa questão sem se ver nela algo mais profundo do que um mero debate semântico. Ainda que se queira negar-lhe a importância das consequências, há causas e motivos para o seu aparecimento e ressurgimento cíclico que nenhum observador atento ou estudioso minimamente interessado poderá desdenhar.
Onésimo Teotónio Almeida, in A questão da literatura açoriana, 1983
 
 
1953

1977
1978

1978, 1981
Antologia de poesia açoriana”, Urbano Bettencourt

1978

1979, 1982
1979

1981
"A literatura regionalista", João Gaspar Simões

1982



Considero que existe, de facto, uma literatura açoriana com carácter de autonomia em relação à literatura portuguesa. […] Considero como literatura açoriana o conjunto de obras literárias que veiculam a mundividência típica do Homem açoriano. Considero que essa mundividência corresponde a um condicionalismo geográfico e histórico. Considero que essa mundividência não comporta limites temáticos, nem se liga a questões de diferenciação linguística, nem a questões essencialmente políticas, nem (muito menos) a qualquer tipo de regionalismo.
J. Martins Garcia, Diário de Notícias / suplemento «Cultura», 1983-06-16.


1983
"A questão revisitada", Onésimo Teotónio Almeida

1984
"Para um conceito de Literatura Açoriana"António Manuel Bettencourt Machado Pires

1985

1988

1988

1988

1993

1995

1998

1998

2004-06-01
"Poesia açoriana?? Não!!", Pedro de Mendonza

2005-07-23
2007-07-25
"O mausoléu das letras"João Nuno Almeida e Sousa

2009-04-09
Literatura açoriana divide os escritores", DI/Correio dos Açores

2011 (consultado em)
"literatura acoriana (teoria de)", verbete da Enciclopédia AçorianaMaria Margarida Maia Gouveia

2011-09-20

2012-05-15

2012

2014-07-07

2015


ESTUDOS SOBRE LITERATURA AÇORIANA

1960
"Açores" verbete de Vitorino Nemésio para o Dicionário das Literaturas Portuguesa, Galega e Brasileira, org. J. Prado Coelho, Porto, Figueirinhas

1977
Açores” verbete de Pedro da Silveira para o Grande Dicionário da Literatura Portuguesa, org. João José Cochofel, Lisboa, Iniciativas Editoriais

1978

1978
"Preâmbulo" a Textos açorianos de apoio ao ensino de português no curso unificado, SREC

1979

1989

1995
O sentimento do exílio na poesia açoriana”, José Martins Garcia

1995

1996
"Women's Literary Contribution in the Portuguese Region of the Azores", Engendering IdentitiesAdelaide Batista e Vamberto Freitas

1996, 1998

1998

1998?

1999

1999

1999-06

2001

2001/2002
Programa de Literatura e Cultura AçorianasDepartamento de Línguas e Literaturas Modernas, Universidade dos Açores

2003-08
"Ilhas conforme as circunstâncias", recensão crítica de Rosa Maria Goulart

2003/2004
"Os contos de Álamo Oliveira", Mónica Cabral

2006

2007
Mar horizonte: literaturas insulares lusófonas, org. Jane Tutikian e Luiz Antonio de Assis Brasil

2007

2008

2008
Programa de Cultura e Literatura Açorianas, curso de verão da Universidade dos Açores

2008



2008/2009
As “leituras” de Roberto de Mesquita, Eduardo Manuel de Mendonça

2009
"A Vez e a Voz da Mulher na Literatura Açoriana: o caso de Pedras Negras de José Dias de Melo." A Vez e a Voz da Mulher Portuguesa na diáspora: Macau e Outros Lugares. Actas do III Congresso Internacional,  Maria Joao Dodman

2009-11-19

2010
"Provincetown Arts: Interview with Vamberto Freitas: Contemporary Azorean and Luso-American Writing."Imaginários Luso-Americanos e Açorianos: do outro lado do espelho, Oona Patrick

2010

2012-02-16

2012-03-16

2012-07-23

2012

2012

2012

2013

2013

2013

2013-07
Literatura açoriana (blogue), Lusa Ponte



LUSOFONIA - PLATAFORMA DE APOIO AO ESTUDO A LÍNGUA PORTUGUESA NO MUNDO.
Projeto concebido por José Maria de Aguiar Carreiro.
1.ª edição: http://lusofonia.com.sapo.pt/acores/literaturaacoriana.htm e  http://literaturaacoriana.com.sapo.pt/, 2008.
2.ª edição: http://http://lusofonia.x10.mx/acores/literatura_acoriana.htm, 2016-2018