sexta-feira, 21 de março de 2014

MÍSERA ACUMULAÇÃO (José Carreiro)


          
Samuele Papiro

                                     
        
       


MÍSERA ACUMULAÇÃO 

Coabita neste lugar um paul de nomes
levados pelas mãos dos caprichos.
Olho com cinismo essas palavras de agora,
a cor indispensável da dimensão do desejo
que, perto do calor, se veja o brilho para dizer e gracejar.
Não creio, não confio, nem dou o aval a mesuras,
medidas ou interesses que me ponham em xeque.
Deixo o recinto de operações sem fechar um negócio
e sem poder contar que não seja com o fracasso,
os danos e os acidentes de um dique.
        
           

             

   

[Post original: http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2014/03/21/misera.acumulacao.aspx]
Enviar um comentário