terça-feira, 14 de agosto de 2012

RETRATO (Vitorino Nemésio)


 Da Vinci Vitruve Luc Viatour
       
      
RETRATO    ¯
Cruel como os Assírios,
Lânguido como os Persas,
Entre estrelas e círios
Cristão só nas conversas.

Árabe no sossego,
Africano no ardor;
No corpo, Grego, Grego!
Homem seja onde for.

Romano na ambição,
Oriental no ardil,
Latino na paixão,
Europeu por subtil:

Homem sou, homem só
(Pascal: «nem anjo nem bruto»):
Cristãmente, do pó
Me levanto impoluto.
     
Vitorino Nemésio, Nem Toda a Noite a Vida, Edições Ática, 1952
    
     
LEITURA ORIENTADA
Funcionamento da Língua
      
1. O retrato do Homem (do sujeito poético) é apresentado como sendo o resultado de um conjunto de marcas estereotipadas de muitos povos.
1.1. Completa, com adjectivos, o exercício que se segue:
Cruel como os Assírios,
Lânguido como os Persas
      
________________________ como os Árabes
________________________ como os Africanos
________________________ como os Gregos
________________________ como os Romanos
________________________ como os Orientais
________________________ como os Latinos
________________________ como os Europeus
      
1.2. Encontra um adjectivo para resumir a característica de personalidade referida nos versos 3 e 4.
      
2. Recorrendo a Pascal, o sujeito poético sintetiza o retrato apresentado nas estrofes anteriores. Interpreta a citação.
      
3. Atenta nos dois últimos versos do poema.
3.1. Explicita a referência bíblica aí presente.
3.2. Tendo em conta o modo em que se encontra a forma verbal e o significado do adjectivo "impoluto" (que denota pureza, que não tem manchas, imaculado, puro), explica o significado destes versos.
    
      
CHAVE DE RESPOSTAS
      
1.1. Sossegado/Calmo como os Árabes.
Ardente/ Ardoroso/Veemente como os Africanos.
Robusto/Belo como os Gregos.
Ambicioso como os Romanos.
Ardiloso como os Orientais.
Apaixonado como os Latinos.
Subtil como os Europeus.
1.2. Hipóteses: incoerente; hipócrita; falso.
2. "nem anjo nem bruto" refere a essência humana do homem com todos os seus defeitos mas também com as suas virtudes.
3.1. "Recorda-te que tu és pó em pó te hás-de tornar" (cf. Génesis, 3, 19).
3.2. A forma verbal encontra-se no modo conjuntivo (Me levante) expressando um desejo do sujeito poético: que, depois da morte, ressuscite puro e imaculado.
   
Entre Margens 10, Olga Magalhães e Fernanda Costa, Porto Editora, 2007.
    
       
SUGESTÃO
      
   
[Post original: http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2012/08/14/retrato.aspx]
Enviar um comentário