domingo, 23 de setembro de 2012

NOX (Antero de Quental)

  
ANTERO DE QUENTAL
             
            
NOX1

Noite, vão para ti meus pensamentos, 
Quando olho e vejo, à luz cruel do dia, 
Tanto estéril lutar, tanta agonia, 
E inúteis tantos ásperos tormentos... 

Tu, ao menos, abafas os lamentos, 
Que se exalam da trágica enxovia... 
O eterno Mal, que ruge e desvaria, 
Em ti descansa e esquece alguns momentos... 

Oh! Antes tu também adormecesses 
Por uma vez, e eterna, inalterável, 
Caindo sobre o Mundo, te esquecesses, 

E ele, o Mundo, sem mais lutar nem ver, 
Dormisse no teu seio inviolável, 
Noite sem termo, noite do Não-ser! 
       
Antero de Quental
            
___________
1 Nox: noite.
          


           
TEXTO DE APOIO
           
O poeta, nas quadras, começa por invocar a Noite, caracterizando-a por oposição ao dia onde reina o Mal; nos tercetos, manifesta o desejo de que a noite seja a libertação deste Mal que assola o Mundo, impedindo-o de “lutar” e “ver”.

Note-se que esta Noite surge conotada com a Morte pois é "Noite sem termo, noite do Não-ser!" (v. 14). A noite apresenta-se como fim eterno, que anula toda a possibilidade de ser (capaz de libertar totalmente da adversidade sensível).

Os elementos apolíneos, que surgem na referência à "luz cruel do dia" (v. 2) em que decorreram as suas lutas, são substituídos pelos noturnos, que melhor lhe permitem exprimir a agonia e a inutilidade dos tormentos passados. Considera que o seu "apostolado social" não lhe permitiu a realização do sonho, não foi mais do que ''Tanto estéril lutar, tanta agonia" (v. 3). Sente inglória a sua luta e a luta do Homem, ao longo da história. Resta-lhe o desejo de uma noite eterna que adormeça e que caia sobre o Mundo para sempre.

Antero de Quental mostra-se atormentado pela sede de infinito. Nos seus sonetos, há a dor e a esperança, a razão e o sentimento, a revolta e a fé, o combate e a desilusão.

A poesia de Antero de Quental está sempre carregada de misticismo, de crítica filosófica, histórica, social e política. Como afirma Oliveira Martins, Antero é "um poeta que sente, mas é um raciocínio que pensa. Pensa o que sente; sente o que pensa".
           
Português A e B: acesso ao ensino superior 2000, Vasco Moreira, Hilário Pimenta. Porto, Porto Editora, 2000. 
(Coleção: Acesso ao ensino superior: preparação para a prova de exame nacional - 12º ano)
           


           
LINHAS DE LEITURA
           
Elabore um comentário global do soneto "NOX" de Antero de Quental, focando os seguintes tópicos:

• tema

• função apelativa da linguagem utilizada

• modos e tempos verbais predominantes no poema

• recursos estilísticos e sua expressividade

• marcas características da poesia anteriana
           
           

CRITÉRIOS SUGESTÕES DE CORREÇÃO
           
Integrados no comentário global do texto, devem ser focados os seguintes tópicos:
           
• Tema
O desejo de libertação dirigido à noite como símbolo do apaziguamento, da evasão, do inexistir.
           
• Função apelativa da linguagem utilizada
- Os vocativos "Noite"... , "Noite"... a enquadrar um discurso dirigido a uma entidade apostrofada, a Noite;
- presença explícita e frequente do pronome pessoal de 2ª pessoa: "para ti"; "Tu"; "Em ti"; "tu"; "te" e ainda do possessivo "teu";
- ‘diálogo’ entre um "eu" que tem a palavra e um "tu" recetor de um apelo;
- modo verbal conjuntivo, "adormecesses", "esquecesses", na 2ª pessoa, que exprime o apelo à realização de um desejo.
           
• Modos e tempos verbais predominantes no poema
- O carácter real, factual do presente do indicativo usado nas quadras - situação de que se parte;
- o carácter hipotético e desiderativo do imperfeito do conjuntivo, predominante, nos tercetos, - apelo à possibilidade de realização do desejo de libertação da situação apresentada.
           
• Recursos estilísticos e sua expressividade
- adjetivação expressiva
- metáfora
- reiteração
- aliteração
- exclamação e suspensão
- apóstrofe
………….
(Deve ser comentado o efeito de intensificação expressiva dos recursos apontados.)
           
• Marcas características da poesia anteriana
- A nível temático, estão presentes a angústia existencial e a Morte como libertação, tópicos relevantes na poesia de Antero.
- Formalmente o poema é um soneto, tipo de composição muito frequente e com grande importância na obra deste poeta.
- A construção rítmica que acompanha a expressão poética, no seu evoluir em crescendo ou decrescendo, obtida pelo pontuar da frase e sua construção, é também um traço marcante da poesia deste autor. (Ex. “Tanto estéril lutar, tantaagonia, / E inúteis tantos ásperos tormentos...”)
- Verifica-se, também, a presença de metáforas recorrentes nesta poesia, como a do sono e a da noite.
           
Exame Nacional do Ensino Secundário nº 138. Prova Escrita de Português A, 12º Ano 
(plano curricular correspondente ao Dec.-Lei nº 286/89, de 29 de Agosto)
Curso de Carácter Geral – Agrupamento 4. 1997, 1ª fase, 1ª chamada.
           
        
        
SUGESTÕES DE LEITURA
        


[Post original: http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2012/09/23/NOX.aspx]
Enviar um comentário