quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O POSSÍVEL DEUS (Vitorino Nemésio)

         



        
O POSSÍVEL DEUS

Pudesse Deus dizer!
Mas só pode
O possível de Deus, amor
Dito jamais senão amado.
Nem fazer pode
Deus amando, que tudo
É, nem feito nem dito:
Ser Amor
Ama sendo infinito.

Não posso Deus
Mas abro-me ao seu... quê?
Que relação de posse a Deus daria?
Ele nada tem nem é
Senão o amor que me dá:
Aberto é ele, e eu entraria.
Amar para caber?
Mas qualquer condição me perderia!
       

Vitorino Nemésio, O Verbo e a Morte (1959)
          



         
LINHAS DE LEITURA
      
Comente o poema, explicitando e desenvolvendo os tópicos:
      
• O sujeito poético reflecte sobre Deus:
- o inominável;
- o amor infinito.

• O sujeito poético reflecte sobre si mesmo:
-limitado pela linguagem incapaz de atingir Deus;
- amado por Deus;
- aberto Deus.

• O sujeito poético reflecte sobre relação de Deus do homem do homem de Deus.

• A ausência do verbo "dizer" no verso 10 indicia o silêncio perante Deus.
      
Aula Viva. Português B 12º Ano, João Guerra e José Vieira, Porto Editora, 1999.
    
      



SUGESTÕES DE LEITURA
      
   

[Post original: http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2012/09/06/Possivel.Deus.aspx]
Enviar um comentário